29 de março de 2011

PODE SER QUE A MORTE SEJA A COMPANHEIRA...

pode ser que a morte seja a companheira...
mas pretendo a vida
essa coisa um tanto compungida
escorregadia
limo em laje de rio
faca de fino fio
que me fende em múltiplos cortes
a cada esquina

certamente a morte será a derradeira...
mas não amiga
prefiro a vida
esta incerta energia em meus tecidos 
Barend Cornelis Koekkoek, Uma carroça numa estrada
do interior. Óleo sobre tela (1843).
e nada mais que isso

e a nada mais aspiro

2 comentários:

  1. Vivamos, então, apesar do Botafogo...ai...ai...ai...

    ResponderExcluir
  2. Não é que a vida seja bonita mas é que a morte é desconhecida.

    ResponderExcluir