22 de março de 2011

PEQUENAS MISÉRIAS


P. Picasso, La vie, 1903.


A lua à noite deita sua luz de leite sobre o nada.
De minha rede à varanda aconchegado
Conto as estrelas que se salvam no céu.
Da casa mal dormida vem um barulho de criança
E todas as ideologias estão simplesmente soterradas.
Porém na escuridão atônita dos espaços siderais
O homem busca mais sempre mais
Como se não lhe bastassem suas pequenas misérias.


 

Um comentário:

  1. Grandes interrogações nos aflige. As pequenas, a gente vai empurrando com a barriga. Por serem tão familiares a gente as trata como sendo "de casa".

    ResponderExcluir