2 de janeiro de 2011

POR TEU CORPO


Colhida em k2.centerblog.net
por teu corpo novo passeiam amores mortos
miscelânea confusa de gestos de carinho
e perdida história – traços de outrora

em tua carne ficaram feridas e cortes
marcas estúpidas de um passado sem glória
que não justificam em nada teu caos de agora

em tua lembrança pululam elétricos choques
incitações nervosas na confusão do cérebro
que atropelam os fatos a cada dia e hora

em teus olhos claros restaram vagas imagens
sugestões imprecisas que te traem a memória
quando a lágrima brota e desiludida choras


Um comentário:

  1. Senti-me a musa desta poesia...
    Segredo!
    Não posso revelar, mas fui sim que vistes ao escrever.
    Íris Pereira

    ResponderExcluir