22 de janeiro de 2011

BOBAGENS IMPUBLICÁVEIS


José Sócrates, Pensador, in
Blog de Caricaturas.
Dia desses, entrei na Livraria da Travessa, na Travessa do Ouvidor, no Centro do Rio de Janeiro, e me deparei com uma banca imensa logo na entrada, abarrotada de livros de autoajuda. Esse filão editorial é uma das maiores empulhações pseudointelectuais dos últimos anos. O livro só é autoajuda para seu autor, que vende milhares de exemplares e fatura gordos direitos autorais. Ou o prefixo auto- de origem grega perdeu seu sentido. Quem lê esses livros e se sente ajudado tem ajuda externa. Para ser autoajuda, só a própria pessoa trabalha, senão não é autoajuda. Tenho muita birra desse tipo de literatura. Porém, imediatamente ao ver aquela montanha de livros, veio-me à mente, já completamente formada, a paródia de um velho dito popular brasileiro. Então pude ver que, só de olhar a capa, talvez aqueles livros tivessem esse poder de que muito duvido. Eis a frase, com o destaque que ela merece:

Muito autoajuda quem não se atrapalha.
Como cabeça de aposentado pode trabalhar com as bobagens que quiser que não estará perdendo tempo, já que tem todo o tempo disponível, assaltou-me a possibilidade de pensar outras versões e formas de ditos e expressões da rica fraseologia brasileira, com o viés (Essa palavra anda na moda e não posso perder a oportunidade de a utilizar aqui. Confesso que é a primeira vez que o faço. Só para ser moderno!) do humor.
Lembro-me, também, do grande professor José Albano Nolasco e sua verve ferina, que dizia, ao referir alguma situação aplicável:
                       Quem se mistura com farelo, porcos o comam.
a marcar a mais baixa condição a que tinha chegado o sujeito de suas observações: não era ele nem mesmo o porco, mas a comida do animal.
O Pasquim, em seus áureos tempos, vez ou outra, trazia brincadeiras com os provérbios populares. Lembro-me, por exemplo, de ter lido lá, como corolário de uma piada:
                                   De grão em grão, a galinha enche o Papa.
Outra versão também já conhecida de todos é
                                   Quem confere ferros com ferro será conferido.
Todo esse preâmbulo é para introduzir a relação das bobagens que me passaram pela cabeça. Pode ser que outras venham, pois diarreia mental é coisa praticamente incurável.

1.       De grau em grau, a galinha esquenta o papo.
2.       Cada mania com seu doido.
3.       Em casa de malandro, vagabundo só perde emprego.
4.       O arquiteto está cheio de projetos para o Ano Novo.
5.       A faxineira passou o rodo no filho adolescente do patrão.
6.       O escoteiro chutou o pau da barraca e foi expulso do acampamento.
7.       O granjeiro afogou o ganso antes de comê-lo.
8.       Tropeiro que amarra o burro normalmente vive contrariado.
9.       O podólogo tomou pé da situação precária em que vivia.
10.   Quem tem bunda fria não esquenta lugar.
11.   Noca comeu pau em sua casa, porque faltou carne.
12.   O engenheiro incompetente não calcula a falta que a mulher lhe faz, desde que ela partiu.
13.   O músico cantou pra subir na carreira, mas morreu antes do sucesso.
14.   O alfaiate abotoou o paletó do cliente defunto na capela mortuária.
15.   O treinador passou sebo nas canelas do maratonista vencedor.
16.   O menino descabelou o palhaço de pano que sua irmã ganhou de presente.
17.   O sitiante soltou a franga no despacho de macumba.
18.   O apostador marcou bobeira no palpite da mega-sena.
19.   O passageiro dormiu no ponto e perdeu a virgem.
20.   Depois de apanhar muito, o briguento foi-se catar, mas faltaram alguns pedaços.
21.   O defunto morreu de rir da cara do papa-defuntos, que levou o cano para o bombeiro consertar.
22.   A linha saiu de fininho do novelo de lã, para não virar um suéter.
23.   Em terra de rei, que tem um olho não gasta dinheiro com binóculo.
24.   Alfajores são alfabetos argentinos feitos de maisena, farinha de trigo, açúcar, manteiga, ovos, fermento em pó e essência de baunilha por confeiteiro iletrado.
25.   Quem ri por último é porque não entendeu a piada a tempo.
26.   Quem mata a cobra e mostra o pau é descarado exibicionista.
27.   Cão que chupa manga sente falta de osso.
28.   Quem lava a égua não pode se esquecer do balde, do sabão e do esfregão.
29.   Quem se mete a besta pode se deparar com um garanhão fogoso logo à frente.
30.   Lobo com pele de cordeiro teme retaliação da PETA.
31.   É mais difícil pegar um mentiroso que tenha imunidade parlamentar.
32.   Macaco velho não quebra o galho do outro.
33.   Ao curtumeiro epicurista é fácil curtir a vida.
34.   Cágado não vive de bunda suja apenas por causa de um acento.
35.   Quando galinha tiver dente, dentista não dará conta do trabalho.
36.   Cachorro amarrado com linguiça deve ser vegetariano.
37.   Chupa cana e assobia quem não tem nada melhor a fazer.
38.   Cavalinho que se tira da chuva é feito de papel machê.
39.   Quem tem faca de dois gumes pode descascar dois abacaxis ao mesmo tempo.
40.   Se você não é ginecologista nem urologista, não me venha dar toque.
41.   Quem mama nas tetas, se não é político, é bezerro novo.
42.   Se você vive dando o pinote das paradas é porque, certamente, tem sangue de cabrito nas veias.
43.   Quem vive numa boa só pode ser absorvente higiênico de mulher gostosa.
44.   Quem entra em fria seguramente pega pneumonia galopante.
45.   E quem tira você de uma fria, com certeza, é o entregador de gelo.
46.   Para sair do armário, o marceneiro nem precisou assumir.
47.   Mentira de pescador é dizer que não pegou nada.
48.   Gato escaldado não dá bom guisado.
49.   Para bom entendedor, meia palavra bas.
50.   Padeiro que queima rosca não faz pão bengala.
51.   Caolhos e banguelas, na roleta, perderam olho por olho, dente por dente.
52.   Vidente que não vê o presente fica com o futuro incerto.
53.   Deficiente visual só sabe dar nó cego?
54.   Os EUA, na década passada, chegaram à beira do abismo. Ali construíram um mirante de aço e vidro muito bonito.
55.   O agrimensor não media esforços no trabalho, porque tinha perdido a trena.
56.   Seleiro, quando fica noivo, não dá o anel de couro na cerimônia.
57.   Minha amiga séria perguntou por que só escrevo abobrinhas. É porque choveu na minha horta, respondo.
58.   Quem morre de rir não vai para o céu, pois lá é um lugar muito sério.
59.   Rapadura não é mole, porque a cana é dura, disse o delegado ao prender o rapadureiro criminoso.
60.   Quando uma notícia vem a furo, é menos um furúnculo no jornalista.
61.   O político faltou com a verdade, para se encontrar com a mentira esfarrapada.
62.  Atropelar os fatos é quando um caminhão desgovernado invade a feira livre e destrói a barraca de miúdos de porco.
63.  Ri Millôr quem ri primeiro.
64.   Humor com humor se paga.

4 comentários:

  1. Ficou impagável...mas realmente é preciso tempo, Você precisa ler o Paulo Coelho, Mestre, vai ficar mais inspirado.

    ResponderExcluir
  2. Passei, li e gostei. Fico e sigo-te.
    Um bj

    ResponderExcluir
  3. Gisa, seja bem-vinda! Espero corresponder às suas expectativas.

    ResponderExcluir