23 de junho de 2011

A TÍTULO PRECÁRIO

Quantos raios cairão sobre nossas pesadas cabeças?
Quantas quedas até o Gólgota?
Quantos crimes ficarão impunes a cada período judiciário?
Quantas lágrimas, ah! quantas lágrimas?

Meus olhos estão secos
E sobre os ombros não levo nada além dos séculos.
Os sonhos adiam-se indefinidamente
Neste país tropical abençoado por Deus
E uma vaga indigestão no estômago vazio passeia em muitos.

O voto que utilizamos como revólver contra nossos próprios tímpanos
Esvaiu-se nas primeiras manchetes de jornal.

E temos todos de continuar cidadãos desta pátria brasileira
A título precário.

Imagem colhida em marilandgeleiageral.blogspot.com.

2 comentários:

  1. Ah, minha pátria, minha bruta pátria jovem sem amante à altura!

    ResponderExcluir
  2. Um tiro em nossa secular insensatez. Parabéns!

    ResponderExcluir