13 de abril de 2011

SEMPRE


(Colhido em gartic.com.br.)
sempre que ouvir teu nome
prometo tremer o rosto
mexer no íntimo sentimento
que tenta permanecer impassível
inutilmente dentro de mim

sempre que sentir teu perfume
prometo rebuscar os sonhos
recuperar súbitas lembranças
que teimosamente insistem
em sobreviver assim

sempre que tocar teu corpo
prometo reinventar poemas
recriar inúmeros sambas-enredo
no pulsar descompassado
do meu cardíaco tamborim

2 comentários:

  1. Ai...ai...deu até vontade de lamber uma...

    ResponderExcluir
  2. Um amante disse da amada: "Ela não é meu amor, é minha religião".

    ResponderExcluir