6 de julho de 2012

AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO

No casamento,
chega um dia
em que o marido praticamente se transforma
em traste sem serventia.
Dos primeiros assombros?
Nem sombra!
E aquela têmpera?
Escombros!
E a valia pouca de trocar lâmpada,
de levar roupa à lavanderia,
de dar comido ao cachorro...
E a mulher faz, então, as contas,
para ao fim de tudo apurar seu ganho
- coisa parca ao seu juízo -:
menos lucro, mais prejuízo.
E até a incapacidade de o infeliz escolher as toalhas de banho.

Imagem em desordemnotribunal.blogspot.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário