15 de novembro de 2010

CORAÇÃO MODERNO

na confusão atônita em que me encontro
sem saber a direção do vento
ou a possível cotação da bolsa de valores
o pulsar rítmico do meu distraído coração espanta
em sua regularidade simplória das coisas passadas
ou da certeza de que no presente
nada há que possa ser que possa estar
e o que não é será e o que não foi já é
e o futuro mera repetição do ontem
e mais ou menos assim por diante

ainda bem que meu coração tem amortecedores independentes!

(Imagem colhida em aterraemarte.com)



2 comentários:

  1. Viver aos trancos e barrancos é um esporte radical.

    ResponderExcluir
  2. E vamos nós, mais perdidos que cego em tiroteio.

    ResponderExcluir