20 de março de 2013

NÃO TENHO


Eu tinha ilusões
Agora tenho senões em relação ao futuro
Eu tive paixões
Agora tenho cardiopatias para os meus amores
Eu tinha esperanças
Agora espero apenas mas com certa desconfiança
Eu tive orgulho
Agora aguardo passar o estio com roupas simples
Eu tive ódios
Agora suporto o tédio de não odiar quase nada
Eu tive certezas
Agora com certeza as incertezas me assaltam
Eu tive segurança
Agora inseguro volto um pouco a ser criança
Eu tinha coragem
Agora o medo é meu companheiro insólito
Eu tinha soluções
Agora sei que me minhas soluções nada solucionaram
Eu tive forças
Agora alquebrado aguardo que o tempo enfim se faça
Eu tive saúde
Agora a saudade é o remédio que me sabe amargo
Eu tive amores
E não há nenhum que se tenha perdido no passado


Sébastien Stoskopff, Vanity, c.1650, Musée de l'Oeuvre Notre-Dame de Estrasburgo (em pt.wikipedia.org).
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário