29 de junho de 2014

IRONIA


Nomes que são avessos
Tropeçam em seus sentidos
Reparem como se desdizem
Certos nomes conhecidos:
Vivaldo morreu de vez
Felícia é desinfeliz
Patrício é estrangeiro
E Letícia anda sempre triste
Armando desmonta tudo
O que Fabrício nem fez
Fernando malha ferro frio
Com o martelo do Marcelo
Antígona é bem moderna,
Não tem nada de antiga
Prometeu não promete nada
E Simplício é só soberba
Altivo anda jururu
Pacífico, de maus bofes,
Anda querendo briga
E Celeste encontrou afinal
O tal do inferno astral
Delícia é bem azeda
E Divino, por seu turno,
Parece filho do capeta
Alberto fechou-se em copas
Germano nasceu no Acre
Ítalo veio de Teresina
Sílvia odeia selva
Marina mora na serra
Bem distante do mar
Silvestre vem da cidade
E odeia coisas do mato
Aparício sumiu no mundo
Clarice escureceu
Bruna tem pele alva
E Albino é mestiço fula
Prudêncio é insensato
Crescêncio encolheu o porte
Amâncio é muito brabo
Ascêncio só vai pra baixo
Cristiana renegou a crença
Acrísio é muito impuro
Plácido anda nervoso
Eugênio tem berço ruim
Florinda está murchando
Aguiar perdeu seu rumo
Salvador não se salvou
Agostinho é de janeiro
Setembrino é de março
E Júlio, de fevereiro
Dolores só têm prazer
Glauco enxerga muito
Aparecida está sumida
E Bonfim danou-se todo
Quando soou o seu sino.
Repararam como, na vida,
Uma coisa está escrita,
Mas é coisa bem diversa
O que as letras contêm?
Será birra do destino?



Imagem em hsacaduracabral.blogspot.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário