19 de maio de 2014

MEUS MORTOS

Alguns dos meus mortos vivem em mim
Uns mais outros menos
Uns com mais intensidade
Outros mais pacificamente
Uns com marcas viscerais
Outros com pequenas sardas psíquicas
Uns há muito mortos
Outros mortos recentes
Todos diligentes
A compor o que eu sou
Com seus modos de vivos permanentes
A não morrer assim tão facilmente
Enquanto eu continuar a ser
O que venho sendo
Desde que me entendo por gente
Ou me desentendo
E assim para sempre

Cemitério de Carabuçu-RJ (foto do autor).

Nenhum comentário:

Postar um comentário