16 de janeiro de 2014

CHOVE


chove lá fora como sempre
e faz frio
mas não há nada demais
a não ser os guarda-chuvas molhados
e o asfalto escorregadio.
chove sobre a cidade inteira
e não há nada demais
senão as ruas cheias de transeuntes
e os corações vazios.
chove dolentemente sobre quase todo o país
e não há nada demais
os homens continuam procurando o rumo
outros buscando o lucro
e tudo mais não passa de um pouco de ilusão.
chove preguiçosamente sobre o planeta
e faz um frio geral nas consciências entorpecidas
e não há nada demais
apenas os canos de descarga dos automóveis
indicam alguma fonte de calor
porque as coisas
quase todas elas indistintamente
invariavelmente
se dissolvem nas gotas frias da chuva fina
que insidiosamente penetra os corações humanos.



Chuva, por Sheila Machado (em flickr.com/photos/smassis),

Nenhum comentário:

Postar um comentário