10 de dezembro de 2013

CANÇÃO DO EX(F)ÍLIO

minha terra não tem palmeiras...
tinha cafezais
hoje tem bois
tinha cana-de-açúcar milho feijão arroz
hoje não tem mais
e se tem não aplaca o apetite dos que plantam
 
minha terra tem sabiá
além de anu caga-sebo rolinha tiziu quero-quero
peixe-frito coleiro bico-de-lacre vira-bosta
suas aves porém não gorjeiam
trinam piam chiam quando muito cantam
são simplórias as aves da minha terra
 
suas matas não têm matas
têm pastos têm capim têm grama
(levaram toda a madeira das matas da minha terra)
 
nosso céu – o céu lá dela
não tem mais estrelas que o céu do rio de janeiro
tem menos poluição
aliás não tem poluição
e muito menos iluminação
a não ser milhares de vagalumes
 
minha terra não tem várzea
tem vargem tem grota tem murundu tem barranco e morro
 
minha terra tem flores algumas poucas
capitão-do-mato girassol rosa lírio e
uma florinha roxa mimosa de quatro pétalas abertas
de nome esquecido e que dá como mato nos canteiros
das casas das pessoas distraídas
 
minha terra não tem bosques
tem capoeira tem macega tem touceira tem mato (ou tinha)
tem – isso sim – alguns quintais hortas e pomares
 
minha terra não tem seio nem ventre
tem peito e barriga como todo ser vivente
que na minha terra ama sofre e vive como toda gente
Foto do autor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário