9 de outubro de 2015

DEIXE QUE O AMOR O AME


Deixe que o amor o ame
E não reclame
Não diga imprecações pela janela do sótão
Simplesmente deixe que o amor
Reclame a parte que lhe toca em sua vida
E saia da toca em que se esconde
Faça por onde
Redija um ofício à moça dos seus sonhos
Faça um requerimento àquela que o tresnoita
Siga o que o improvável lhe sugere
E não bata em retirada
O amor é assim mesmo
Um nada ao acaso num oceano de lágrimas
Que pode um dia achá-lo no buraco
E convertê-lo em casquinhas de prazer
Um coisa tão à toa
Mas que pode fazê-lo se perder

Deixe que o amor o ame
E depois não haverá mais do que reclamar

Rolinhas (foto do autor).

Nenhum comentário:

Postar um comentário