1 de abril de 2016

QUE BARCA?



que barca leva ao outro lado da baía
a sorte de uns e o desespero de outros?
que barca trará de volta os sonhos
e a recompensa pelo trabalho estafante?
que barca conduz pela madrugada insone
a alegria e a ressaca dos noctâmbulos?
que barca amontoa em seu espaço interior
o frio e o calor dos corpos nos fins de tarde?
não é com certeza a da frota carioca
muito menos a barca da cantareira do stbg
nem a prosaica barca da conerj de nome estranho
menos ainda essa moderna da barcas s/a
senão aquela que atravessa os anos
os mares bravios os largos oceanos
varando procelas e cabelos brancos
do primeiro ao último passageiro
como se o tempo fosse um lago azul
manso e suave de poluição inexistente
onde a memória possa passear de hoje para ontem
de ontem para o futuro e assim por diante.



Barca atravessando a baía (foto do autor).

2 comentários:

  1. Garanto que não deva ser uma nau insensata.

    ResponderExcluir
  2. Belo texto, bela foto... Parabéns Saint-Clair. Grande abraço.

    ResponderExcluir